Por mais que se invista em iluminação no projeto de uma casa, nada substitui os benefícios da luz natural. O sol, em doses moderadas, pode trazer inúmeros benefícios à saúde e a sua presença dentro de casa, além de muito agradável, deixa o ambiente mais bonito, além de ajudar na economia de energia.

A iluminação natural é um recurso bastante sustentável e cada vez mais utilizado na construção civil. Além disso, é uma tendência na decoração de ambientes, justamente por aliar sofisticação e funcionalidade. A luz do sol, associada à boa circulação de ar, tem a capacidade de tornar qualquer local mais aconchegante. Um dos recursos que pode ser utilizado para aproveitar a luz do sol, na opinião do arquiteto Augdan de Oliveira Leite, é o muxarabi. É um recurso criado pelos árabes para fechar parcialmente os ambientes de maneira que quem está dentro possa ter visão total do lado externo, o que não ocorre com quem está do lado de fora em relação ao interior do imóvel. “A principal função do muxarabi no mundo árabe era proteger as mulheres de olhares masculinos”, explica Augdan.

Ele foi adaptado pela arquitetura ocidental especialmente em países tropicais para preservar a ventilação dentro dos ambientes. “Esse tipo de treliça feita de madeira é encaixada no meio da parede, pode ser usada numa varanda, por exemplo, ou como painel para colocar plantas. Além de deixar entrar a luz natural ajuda na decoração e traz riqueza de detalhes”, avalia o arquiteto.

 

Outro recurso interessante é o uso de pergolado na frente da janela, o que permite a entrada de raios de luz dependendo da direção do sol.

Cobertura zenital – A cobertura zenital corresponde a todo o tipo de iluminação natural que vem de cima. Estão inclusas nesta modalidade coberturas transparentes, claraboias e poços de luz. As coberturas transparentes podem ser atingidas com telhas e materiais de policarbonato e são recomendadas para áreas de deck, piscinas térmicas e jardins de inverno. É preciso tomar cuidado na instalação para que o vento ou a chuva não danifiquem a cobertura. Atente também à segurança, já que a resistência destes materiais costuma ser menor que a do vidro.

Augdan recomenda usar vidro com alumínio para dar vedação. “Eu não usaria policarbonato, pois ele amarela e risca”, adverte.

Por sua vez, as claraboias são instaladas em aberturas mais estreitas, preferencialmente em tetos com vãos ou de madeira.  Podem ser de material plástico ou acrílico e normalmente são usados para banheiros sem janela ou corredores.

As portas de vidro ou portas balcão, com esquadrias de aço, alumínio ou madeira, são a forma mais fácil de iluminar um espaço sem precisar fazer uma grande reforma.

Já os tijolos de vidro, segundo Augdan,deixam passar a luz, mas aquecem o ambiente. “Podem ser usados para o fechamento de jardim ou numa parte do banheiro, mas não permitem o controle de luz natural”, diz.

Persianas – No caso de apartamentos, uma boa alternativa é o uso de persianas. “Elas ajudam a controlar o índice de claridade que entra na casa. É o melhor controle de iluminação. Prefiro as horizontais”, comenta Augdan. 

Numa casa, elas também podem ser usadas na janela de uma sala voltada para o jardim, por exemplo. “Assim, aproveita-se a paisagem para integrá-la ao ambiente”, sugere Augdan.

Bruna Venâncio, gerente de marketing da Amorim, explica que as persianas oferecem o controle da luminosidade por meio do giro das lâminas, o que permite que a luz natural entre na medida certa no do ambiente. Segundo ela, para ter uma valorização melhor da luz natural é indicado usar persianas em tons claros. “Opte por modelos que permitam o controle da  passagem de luz e ofereçam privacidade, podendo fechar a persiana por inteiro”, recomenda.

Bruna acrescenta que janelas, divisórias, portas e tetos de vidro permitem que a luz natural entre. “Usar elementos claros na decoração também favorece na luminosidade”, completa.